Skip links

Presidente da COP26, Alok Sharma, comemora “heróis do clima” com governadores, prefeitos e diretores executivos do Brasil

Brasil, 4 de agosto – Em novembro, o Reino Unido sediará a Conferência das Nações
Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), a reunião climática mais importante desde
o Acordo de Paris de 2015 e o maior encontro de líderes mundiais desde o início da
pandemia em 2020.

O Brasil desempenha um papel fundamental para a COP26 e, em sua primeira visita ao
Brasil, o presidente indicado da COP26, Alok Sharma, deu as boas-vindas a
governadores, prefeitos e líderes empresariais para celebrar os compromissos
coletivos da campanha Corrida para Zero no Brasil. “Todas as contribuições são
importantes”, disse Sharma. “Vocês são meus heróis climáticos e sua adesão a este
grande compromisso climático é muito importante”.

O evento, que foi realizado de forma híbrida, contou com a presença do Embaixador do
Reino Unido no Brasil, Peter Wilson, e com a participação online de Gonzalo Muñoz,
Campeão de Alto Nível da Presidência Chilena da COP25, e em conjunto com Nigel
Topping da Presidência Britânica COP26, líder da Campanha Corrida para Zero e Ação
Climática da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática.

A cerimônia comemorou a entrada de novos estados, cidades e empresas na campanha
Corrida para Zero. Os estados de Pernambuco e Pará se juntam a Minas Gerais, o
primeiro estado a aderir à campanha na América Latina, e também São Paulo, o
primeiro a assinar o compromisso em forma de decreto em julho. Juntos, os quatro
estados representam 33% das emissões brasileiras.

Novos estados estão em processo de conclusão de adesão: Amazonas, Espírito Santo,
Maranhão e Mato Grosso do Sul. Quando confirmado, significará que os oito estados
responsáveis ​​por 48% das emissões brasileiras e mais de 50% do PIB do país serão
comprometer-se a atingir a emissão zero de carbono até 2050. Além disso, o
governador do Estado do Paraná também participou do evento e demonstrou interesse
em participar da campanha.

Em seu discurso de abertura, o presidente indicado da COP26, Alok Sharma,
parabenizou a ambição do Brasil. “Conseguimos fazer com que mais de 100 empresas,
12 cidades e 4 estados assinassem o compromisso da Corrida para Zero no Brasil e, se
somarmos os esforços dos que hoje se comprometem, isso representa cerca de 50% de
todas as emissões no Brasil e 50% da economia. São números enormes e eu os
parabenizo por isso”.

Nove cidades signatárias participaram do evento. Os prefeitos João Campos, de Recife
(PE); José Sarto, de Fortaleza (CE); Axel Grael, de Niterói (RJ) e Márcia Conrado de Serra Talhada (PE), participaram pessoalmente. Os demais prefeitos Rafael Greca, de Curitiba
(PR); Ricardo Nunes, de São Paulo (SP); Bruno Reis, de Salvador (BA); Ary Vanazzi, de
São Leopoldo (RS) e Jairo Jorge, de Canoas (RS), marcaram presença online.

Em vídeo, o prefeito de São Leopoldo e presidente da Associação Brasileira de
Municípios (ABM), Ary Vanazzi, contou o trabalho que vem desenvolvendo junto ao
Pacto Global de Prefeitos. “Com o apoio do Pacto Global de Prefeitos, realizamos
seminários de capacitação e procuramos levar a agenda ambiental aos municípios do
país com o objetivo de reduzir a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera”. O
prefeito citou ainda algumas das diversas iniciativas que São Leopoldo vem
desenvolvendo, como a construção de uma legislação ambiental efetiva para garantir a
proteção das áreas verdes da cidade e a estruturação de um projeto de coleta seletiva
que envolva as famílias mais vulneráveis com o objetivo de gerar renda e aumentar sua
inclusão social.

A cerimônia também comemorou a participação de mais de 100 empresas brasileiras e
mais de 3.000 em todo o mundo na Corrida para o Zero. O grupo presente no evento
representou a diversidade de setores com compromissos climáticos e reforçou o
importante papel da iniciativa privada no combate às alterações climáticas. Foram
firmados os compromissos das empresas: Movida, BRF, Azul SA, Ambev, Banco do
Brasil, Malwee, Klabin, JBS e Natura.

O Embaixador Peter Wilson, que abriu o evento, destacou os benefícios de uma
recuperação econômica verde. “Não há contradição entre o crescimento econômico e o
esverdeamento de nossas economias. Hoje vemos aqui que a possibilidade de reduzir
as emissões a zero é real e só temos a ganhar ”.

Gonzalo Muñoz enfatizou que “2021 é um ano crítico para a ação climática” e que
“emissões líquidas zero devem ser nossa meta comum e urgente”. Ele acrescentou que
“nesta corrida precisamos de todos, sem exceção”.
O Presidente Designado da COP26 Sharma encerrou o evento dizendo que “a razão de
estarmos fazendo isso é pelo meio ambiente, pela economia e pelo emprego, mas
também o fazemos pelas gerações futuras e esta próxima década será absolutamente
decisiva para as ações que sendo realizado.

O evento foi realizado em parceria com o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e
Energia (GCoM), Global Compact Brasil, Conselho Empresarial Brasileiro para o
Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), Instituto Ethos, CDP, Centro Brasil no Clima,
ICLEI, C40, ACA Brasil, Under2 Coalition e FGV EAESP.

Você pode acessar a gravação completa do evento no link: http://bit.ly/CorridaAoZero.

Sobre o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia (GCoM)

O Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia é uma resposta poderosa e histórica
às mudanças climáticas de cidades ao redor do mundo. O Pacto se tornou a maior
aliança contra as mudanças climáticas, reduzindo seus impactos inevitáveis ​​e
facilitando o acesso a energia limpa e acessível. Construída com o compromisso de
mais de 11.000 cidades ao redor do mundo, esta aliança fortalece as capacidades
climáticas e ações de governos locais e autoridades subnacionais.

A campanha Race to Zero
A campanha global da ONU reúne atores não-estatais de todo o mundo comprometidos
com uma recuperação econômica verde, resiliente e livre de carbono e com a obtenção
de emissões líquidas zero até 2050. No Brasil, 122 atores (incluindo 99 empresas, 3
estados e 8 cidades) já se comprometeram com a Race to Zero. Veja a lista
completa: https://climateaction.unfccc.int/views/coonomic-initiative-details.html
As cidades que aderem ao GCoM se comprometem a definir metas de emissões
mensuráveis ​​pelo menos tão ambiciosas, e de preferência mais ambiciosas, do que a
Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) de seus respectivos governos sob o
Acordo de Paris. Eles também se comprometem a definir metas ambiciosas de
adaptação ao clima, em linha com os Planos Nacionais de Adaptação (onde existirem),
bem como metas de acesso à energia sustentável consistentes com os princípios em
torno do acesso à energia e sustentabilidade urbana incorporados nos Objetivos de
Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Embora o compromisso de chegar a zero líquido até 2050 não seja um requisito para o
GCoM, as campanhas Race to Zero (RtZ) e Race to Resilience (RtR) estão alinhadas com
a visão e missão do GCoM e compartilham o mesmo objetivo de acelerar a ação
climática e fortalecer a resiliência das comunidades contra os efeitos das mudanças
climáticas.

Return to top of page