Skip links

A mudança climática está se intensificando, aponta novo relatório do IPCC

O último relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), divulgado em 9 de agosto, analisa as mudanças no clima da Terra em todas as regiões e no sistema climático como um todo.

O relatório “Mudanças Climáticas 2021: Bases Físicas” aponta que apenas uma redução substancial e sustentada nas emissões de dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa limitará as mudanças climáticas. Se governos, empresas e sociedade começarem a agir agora, teremos uma melhoria mais rápida e visível na qualidade do ar, mas pode levar de 20 a 30 anos para que as temperaturas globais se estabilizem. 

O relatório oferece novas estimativas sobre a possibilidade de aquecimento global de 1,5 °C nas próximas décadas e conclui que, a menos que as emissões de gases de efeito estufa sejam reduzidas imediatamente, rapidamente e em grande escala, limitar o aquecimento a cerca de 1,5 ° C ou até 2 °C será uma meta inatingível.

Muitas das características das mudanças climáticas dependem diretamente do nível de aquecimento global. As projeções indicam que as mudanças climáticas aumentarão em todas as regiões nas próximas décadas. De acordo com o relatório, com o aquecimento global de 1,5 °C, haverá um aumento das ondas de calor, as estações quentes vão se alongar e as estações frias vão se encurtar; enquanto com um aquecimento global de 2 ° C, eventos de calor extremo atingiriam com mais frequência limites de tolerância críticos para agricultura e saúde.

Mas o problema não é apenas uma questão de temperatura. Outras mudanças resultam do aumento do aquecimento, particularmente na umidade e secura, ventos, neve e gelo, bem como áreas costeiras e oceanos.

As ações humanas podem determinar o curso futuro do clima. A principal ação agora é atingir zero emissões líquidas de carbono.

O Pacto Global de Prefeitos (GCoM) impulsiona ações climáticas por parte dos governos locais

Muitas cidades estão tomando medidas concretas e estão dispostas a fazer ainda mais para alcançar um futuro com emissões líquidas zero.

Nas Américas, 787 cidades se comprometeram com o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia (GCoM) e concordaram em avançar suas ações climáticas em três áreas principais: redução das emissões de gases de efeito estufa, identificação e adaptação aos riscos associados às mudanças climáticas e aumento da disponibilidade de energia limpa e acessível. 

Nós precisamos agir agora. Se sua cidade quer fazer mais pelo futuro, pode se juntar à maior aliança global de prefeitos comprometidos com o clima. A iniciativa proporciona aos governos locais uma ampla estrutura de apoio, que inclui instituições aliadas ao GCoM para facilitar seus avanços. Sua cidade pode contar com a ajuda dos Coordenadores Nacionais de seu país e do Helpdesk do Pacto Global de Prefeitos em todo o processo. Além disso, o GCoM também divulga informações sobre oportunidades de financiamento que apoiam iniciativas relacionadas ao desenvolvimento sustentável e equitativo e garante acesso a eventos globais e regionais para o intercâmbio de boas práticas.

O Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia é uma resposta poderosa e histórica às mudanças climáticas de cidades ao redor do mundo. O Pacto se tornou a maior aliança contra as mudanças climáticas, reduzindo seus impactos inevitáveis ​​e facilitando o acesso à energia limpa e acessível. Construído com o compromisso de mais de 11.000 cidades em todo o mundo. Essa aliança fortalece as capacidades e ações climáticas dos governos locais e autoridades subnacionais.

Para obter mais informações sobre como aderir ao Pacto, escreva para: [email protected]

O Pacto Global de Prefeitos (GCoM) incentiva a adesão à Corrida para Zero

A campanha global “Race to Zero” – Corrida para o  Zero – da Organização das Nações Unidas (ONU), reúne atores de todo o mundo comprometidos com uma recuperação econômica verde e resiliente e com o alcance de emissões zero líquidas para 2050.

As cidades que aderem ao GCoM já se comprometem a definir metas de emissões mensuráveis ​​iguais ou mais ambiciosas do que a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) de seus respectivos governos sob o Acordo de Paris.

Embora o compromisso de chegar a zero emissões líquidas até 2050 não seja um requisito para fazer parte do GCoM, as campanhas Race to Zero (RtZ) e Race to Resilience (RtR) estão alinhadas com a visão e a missão do GCoM e compartilham o mesmo objetivo de acelerar a ação climática e fortalecer a resiliência das comunidades contra os efeitos das mudanças climáticas.

 Clique aqui para obter mais informações sobre a Corrida para o Zero.

Return to top of page