COMO PARTICIPAR?

Qualquer cidade do mundo com um governo democraticamente eleito, independentemente do seu tamanho ou localização, pode aderir voluntariamente ao Pacto. Na América Latina, o processo de adesão passa por algumas etapas específicas:

1

Inicialmente, o prefeito (ou autoridade local equivalente) assina uma Carta Compromisso: entre em contato com um dos Coordenadores Nacionais do seu país e manifeste seu interesse. Eles guiarão sua cidade por meio do processo de adesão. Se preferir, faça o download da carta de compromisso diretamente do nosso site e envie a carta assinada pelo líder local para [email protected].

2

Avalie sua situação atual:Após aderir formalmente à aliança, o primeiro passo recomendado é coletar dados e informações sobre o cenário climático de sua cidade em relação a cada um dos pilares do Pacto. Isso inclui o desenvolvimento (i) de um inventário local de emissões de gases de efeito estufa (GEE), (ii) uma avaliação dos riscos e vulnerabilidades climáticas e (iii) um inventário do acesso à energia e à pobreza.

3

Adote metas de redução e estabeleça um sistema de medição:O próximo passo é estabelecer objetivos e metas para (i) reduzir as emissões de GEE, (ii) evitar e minimizar as consequências das mudanças climáticas e (iii) ampliar o acesso a uma energia segura, sustentável e acessível. Recomenda-se que este passo seja executado no segundo ano após a assinatura da Carta Compromisso.

4

Estabeleça um Plano de Ação:Dentro de três anos, a cidade é incentivada a desenvolver um “Plano de Ação para o Clima e Energia Sustentável”, também conhecido como “PACES”. Este plano (ou planos) indica as medidas que a cidade tomará para alcançar seus objetivos e metas, melhorando sua resistência às mudanças climáticas. As cidades podem elaborar um PACES integrado, incluindo medidas de mitigação, adaptação, acesso à energia e combate à pobreza, ou três planos independentes, conforme considerado mais adequado para seu contexto e realidade locais.

5

Informe seu progresso a cada ano. Para cumprir as normas do Pacto, as cidades devem informar continuamente sobre seus progressos, monitorando a implementação de seus PACES. Recomenda-se fazê-lo anualmente para manter os dados atualizados.

6

Acesse o modelo de Carta Compromisso e dê o primeiro passo para se juntar à maior aliança de cidades e governos locais comprometidos na luta contra as mudanças climáticas.

POR QUE PARTICIPAR?

As vantagens de participar do Pacto Global de Prefeitos para o Clima e Energia são diversas.

As mais importantes incluem:

1

Alto reconhecimento e visibilidade internacional para a ação climática e energética por parte das autoridades locais

2

Oportunidade de contribuir para moldar a política climática e energética global.

3

Compromisso confiável por meio de revisão e acompanhamento do progresso.

4

Melhores oportunidades financeiras para projetos locais de clima e energia.

5

Métodos inovadores para estabelecer contatos, trocar experiências e desenvolver capacidades por meio de eventos periódicos, parcerias, seminários ou debates online.

6

Soporte práctico (Helpdesk), material de orientación y herramientas.

7

Acesso rápido a excelentes conhecimentos práticos e estudos de casos inspiradores.

8

Facilitou a autoavaliação e a troca de informações entre parceiros por meio de modelos comuns de acompanhamento e apresentação de relatórios.

9

Estrutura de ação flexível e adaptável às necessidades locais.

10

Melhor cooperação e apoio das autoridades nacionais e subnacionais.

COMPROMISSO

Um movimento poderoso e histórico

Quando as cidades se juntam ao Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia (GCoM), estão demonstrando liderança ao servirem de exemplo para cidades em todo o mundo, convidando-as a fazer parte da solução global para as mudanças climáticas. As cidades que aderem ao Pacto comprometem-se a desenvolver um inventário de emissões de gases de efeito estufa e uma avaliação de riscos climáticos, além de estabelecer objetivos mensuráveis de emissões, metas ambiciosas de adaptação climática e objetivos de acesso a energia sustentável, em conformidade com o Acordo de Paris. Os signatários concordam em formalmente adotar planos e objetivos com um compromisso de três anos.

Para participar do Pacto Global de Prefeitos, é necessário o comprometimento da cidade, refletido no cumprimento dos planos estabelecidos e no relato de sua evolução. Por sua vez, o Pacto oferece às cidades que se juntam uma estrutura de apoio para implementar os planos e alcançar as metas definidas. A Secretaria do Pacto busca colaboração com diferentes organismos financeiros e técnicos para promover mecanismos de financiamento de ações contra as mudanças climáticas e oferecer ferramentas práticas que possam ser utilizadas nesta luta.